segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Ontem pela tarde tive que trocar de quarto para que correspondesse as meras 150 rupias que estou pagando. Fui parar na planta baixa, sem varanda, de costas para a vista. Mas um quarto limpo e amplo. Para que queixar-me. A gust house dispoe de um Roof Top incrivel e ter que sair do quarto para ver a paisagem so sera bom, verei mais gente.
Olhar a vida nas ruas de Dharamshla e todo um aprendizado. OS tibetanos sao os donos dos negocios. Os indianos trabalham para eles. Quem cozinha sao os indianos e nao os tibetanos. Por outro lado, os tibetanos nao pedem esmola, os indianos sim.Todos os restaurantes e lojas tem um pequeno altar dedicado ao Dalai Lama. As paredes pintadas no estilo tibetano, os tetos vermelhos e bandeirinhas penduradas.
A cidade esta imersa numa imensidao branca. Desde ontem. As rus banhadas pelas nuvens, o vale e os picos totalmente escondidos pela nevoa. Tudo parece mais silencioso. A vida parece mais concentrada, parece mais limpa, parece mais real. Como se todos esperassem a volta do sol.
Hoje finalmente consegui comer no restaurante sem nome, que afinal tem nome: Dhasang, nao me perguntem o que significa. As tres mesas estavam por primeira vez vazias, desde que cheguei. Os turistas nem entram, o unico menu disponivel esta colado na parede e escrito a mao. Nem agua mineral tem. Feito para os tibetanos e nada mais. Mas continua sendo a melhor comida de todas. E quando estava la, esperando meu Thukpa (sopa de macarrao e verduras) entrou e sentou comigo, porque as duas outras unicas mesas estab\vam ja ocupadas, um suico, Julian. Acaba de sair do Vipassana e concorda que ali e o lugar com a melhor comida e o mais barato tambem. Diz que fez o Vipassana por acaso e por sorte, porque estava no numero 35 da lista de espera. Isso fez meu coracao gelar. Onde ja se viu lista de espera para fazer Vipassana?
Subimos juntos ate quase chegar ao centro de meditacao, porque ele esta hospedado em Dharamkot, uma vilazinha acima de McLeod Ganj, que e onde estou ficando. No meio do caminho, do outro lado do vale, por primeira vez reparei numas escadas que subiam a montanha. Escadas ingremes, escadas infinitas. Escadas que se perdem nas nuvens brancas que cobrem as montanhas. "Stairs to heaven", diz Julian, e eu nao posso mais que concordar.
Sento numa venda, na porta do centro de meditacao a espera que abra. O chai nao e tao bom quanto se podia esperar depois de uma longa caminhada. As moscas borbulham aqui e acola. MOnges sentados observam desde os bancos verdes a frente, o mala girando incessantemente em suas maos. Cigarras cantam e a branquidao envolve ainda mais. "Lost in heaven", nao posso deixar de pensar.
O Vipassana que comeca no dia 1 de outubro esta cheio. Voce pode ir para Katmandu, dizem. Nao quero Katmandu, nao qeuro Rajastao, quero faze-lo aqui. LIgo para o numero que me dizem. Fico na lista de espera. Numero 17. Ah,99% de chance de conseguir fazer o curso. Muita gente se inscreve e nao aparece. Amem, penso. Mas decido, se nao consigo fazer o curso como estudante, faco como ajudante, por mais dificil que seja, ja que faz tanto tempo que nao pratico. E o que tiver que ser, sera, porque assim e a India, aqui eu nao controlo nada. Nem quero controlar. Deixo meu destino nas maos da vida, e tenho certeza que tudo que passar sera o melhor para mim.
Volto para uma cidade ainda imersa numa nuvem branca. Volto devagar, apreciando a paisagem, vendo os macacos rebuscando no lixo. Os corvos que cantam sem parar. O cheiro dos momos (especie de pastel cozido ao vapor) nas ruas. E as vacas que as vezes cruzam meu caminho. Me sinto segura. Me sinto feliz.

5 comentários:

Guido Michaelis disse...

Caraca, que sensação de que a Índia é realmente um lugar fantástico! Espero que as fotos possam passar mais dessa sensação.
E tem uma Starway to Heaven *-*
Eu juro que subiria essa escada só pra ver se acho o Led Zeppelin lá encima!

fios da terra disse...

quero ver fotos tb
e subir as escadas junto com o guido

Andre disse...

Querida filhinha!

Que bom saber que VOCÊ ESTÁ NA ÍNDIA!!!

Que bom saber que VOCÊ ESTÁ REALIZANDO UM SONHO!!!

E QUE sonho!!!

Gostei também de ver você fazer, do limão, a limonada... Explico: te trocaram de quarto, porque você está pagando pouco... mas ái você percebe que, graças ao fato de ter que sair do quarto para ver a paisagem... assim encontra e conhece outras pessoas...

E olha que esse Dharamshala deve ser O lugar do mundo para se conhecer pessoasa interessantes, não é? Pessoas que sairam de suas casas, DO SEU MUNDO... para buscar algo...

Beijos, querida...
Papi

ana carolina disse...

Niquita querida...q delicia poder ler seu diário de bordo...ainda q compartilho deste sonho de conhecer a India! Sonhei com vc ha dois dias atras...era muito real e muito legal! Saudades! Tudo de bom na sua maravilhosa jornada! E sigo acompanhando daqui!

Daniela disse...

Querida, eu também sou feliz em saber que eres feliz! Ler seu blog me faz viajar no Shantaram! jejeje
Disfruta e continua escrevendo, assim comparto essa viagem contigo!
Sejas feliz, minha querida!
Besote