quinta-feira, 3 de julho de 2008

Minha casa

Tenho passado algumas horas acordada pelas noites. Fico desperta, tentando dormir, de olhos fehcados, pensando na minha casa. E quando digo minha quero dizer uma que ainda não existe. Pelo menos não fisicamente, porque na minha cabeça já está nos detalhes finais.
Isso porque esses dias, falando com a minha mãe, decidi construir minha casa. Decidi, entre aspas. Primeiro tenho que comprar uma terra. Mas, enfim, se um dia vou ter uma terra minha, quero fazer a casa dos meus sonhos e não a dos sonhos alheios.
Assim que passei os dois últimos dias, papel quadriculado e caneta na mão, desenhando, tentando até manter as proporções. Desenha daqui, rabisca de lá, ninguém manda não ser arquiteta! Mas pouco a pouco fui chegando em um acordo.
Já a vejo claramente. Casinha ampla, iluminada, nada de muitas divisórias. O lugar principal da casa? A varanda, claro! Casinha de madeira, cercada de flores.
E falando em flores, até já estive pesquisando o jardim. Visitei diversos sites, buscando flores e mais flores. Flores de primavera, mas também flores de inverno, quando não estão umas, estarão as outras, assim que a casa, minha sonhada casa, nunca estará cinzenta.
Imagino a casa com uma floresta atrás. Uma cachoeira ali pertinho. Na entrada um portão de flores. Gnomos e fadas certamente passearão por ali.
Agora me falta encontrar tal terra.
E me falta também o dinheiro para comprá-la, mas enfim, isso é detalhe.

Um comentário:

nina disse...

Voce um dia terá sua casa linda como voce. Da trabalho mas voce chegará la.